Conselhos prudentes

1 Abr

Damos a seguir os que o reputado professor allemão  Matatodos insere no seu famoso livro Nãoexistezeitung:

1º Montar de verão em traje de banho e de inverno com facto de mergulhador.

2º Levar sempre na bolsa da machina um barril de aguardente e uma canôa para em caso de resfriamento poder tomar-se um banho alcoolico.

3º Quando se chega de uma excursão violenta e se sente o corpo a transpirar, deve tomar-se um banho de agua gelada, tendo o cuidado de prevenir antecipadamente a família para que vá preparando o luto e chamando o armador.

4º Não emprehender excursão alguma sem ter feito calafetar, a pedra e cal hydraulica, as fossas nasaes e a bocca, a fim de evitar a entrada do ar. A respiração effectua-se pela parte porterior das orelhas onde o cyclista mandará rasgar dois postigos com uma pequenina faca de cosinha.

5º Nas paragens ou descanços, não deve comer senão pão de milho, quando não haja outra coisa; assim como é conveniente não fumar, a não ser que tenha cigarros ou dinheiro para os comprar.

6º Para evitar que haja desarranjo nos ossos dos joelhos e dos pés, todo o cyclista deve, antes de sahir de casa, praticar, como uma verruma, dois pequenos orifícios na perna e pé, introduzindo n’esses orifícios a maior porção de petróleo que lhe seja possível.

7º Estando provado que a bicycleta caminha tanto mais quanto menos fôr o pezo da pessoa que a monta, convem que todo o cyclista leve só a cabeça, os braços e as penas, deixando em casa o tronco, á excepção da parte que precisa para occupar o selim.

8º Com o fim de evitar as quédas nas curvas das estradas, é conveniente desmontar a 100 metros de distancia ou, o que é ainda mais seguro, deixar-se ficar em casa.

9º Para não arranjar corcunda (vulgarmente chamada sêmea) deve levar-se o corpo metido n’uma prensa de copiar fabricada de algodão em rama para não pezar demasiado.

10º Para ter conhecimento de todos os progressos da velocipedia, corridas, ‘records’, ‘matchs’ e quejandas eguarias e mais legumes cyclicos, deve assignar a revista quinzenal ‘O Velocipedista’, enviando a quantia de 1:200 réis á sua administração, rua de D. Pedro, 184 – Porto.

Estes 10 mandamentos se encerram em dois – ter a maxima cautella e caldos de galinha; e não deixar de assignar este jornal por coisa nenhuma d’esta vida, a não ser por falta de dinheiro que é a única razão que póde convencer-nos…

Em vista do que não lhes dizemos mais nada para não os affligir.

Conselhos d’O Velociedista (1 de Abril de 1895)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: